grupoentrouporumaporta


Contato com o Grupo Entrou Por Uma Porta:

grupoentrouporumaporta@yahoo.com.br



Escrito por Grupo às 00h42
[   ] [ envie esta mensagem ]






Escrito por Grupo às 22h53
[   ] [ envie esta mensagem ]




Encenação e versão dramática do "Auto de São João"


Conhecer e vivenciar as musicalidades e saberes da cultura popular brasileira e fazer disto um encontro do jovem público e as comunidades as quais estão inseridos, é embala-los para sonharem para reconstruírem as histórias contadas por amas e vós passadas.

A aventuras do nosso espetáculo nos leva a uma abietanção cuja a força está calçada no sincretismo mitológico brasileiro e a nossa fuga profana do sagrado.

A reconstrução da vida e amores de Rubião nos parece simbolizar a sabedoria dos ciclos da natureza que integram a vida e a morte. Parece mostrar que o domínio da atividade de uma ruralidade ainda presente no nosso pais e naturalmente o ciclo da vida-cura-morte humana.

Escapando aos limites da pura história com perguntas e resposta mais ou menos elaboradas vemos um questionamento forte da civilização judaico-cristã, que leva o mundo a não perceber o quanto somos joguetes de forças naturais.

"(...)Assim o jogo dramático articula-se entre o bom senso comum unilateral e a pluralidade de sentidos que a vida e o mundo do imaginário propõe e, ao mesmo tempo, atomista para além do pequeno ego, a procura de uma totalidade do ser.

Neste momento em que a demagogia da miscigenação é para branquear uma realidade cada vez mais racista e xenófoba, apesar de vivermos num país de vocação emigrante, este texto agudiza poeticamente esta problemática, transcende a mera denúncia e nos abre horizontes insuspeitos.

O teatro como sincretismo de expressões que não se confina às palavras. Teatro endereçado ao jovem público com o misterioso sentido da arte. Processo de criação de uma linguagem alquímica, onde a mistura dos sotaques de expressão portuguesa e das linguagens artísticas despertem nestes jovens a curiosidade para outros sentires e outras convivialidades."( Jose Caldas)

Da cena musical
O Auto de São João tenta traduzir para o palco as vastidões culturais brasileiras, onde cada palavra sua é por si só uma história. As muitas paisagens e os contos dentro do conto.

Convidar o público a visitar estes pequeno universo, sem romper o equilíbrio, só uma música quase nua, toda feita de seres oriundos das comunidades pertencentes a estas poeticas poderiam dar estas leituras.

Com os textos extraídos das nossas vivencias dentro de uma pesquisa da cultura popular e outros poemas cedidos por poetas brasileiros nos possibilitou construir este depoimento cênico onde as Etnias se misturam num painel muti-cor.

 

 

Texto: Reinaldo Malcolm Sant’ana

Poemas incidentais de : Ricardo Aquino, Elle Semog, Paulo Pinheiro, Roberto Dellane e outros amigos de estradas



Escrito por Grupo às 22h52
[   ] [ envie esta mensagem ]






Escrito por Grupo às 22h49
[   ] [ envie esta mensagem ]






Escrito por Grupo às 20h57
[   ] [ envie esta mensagem ]




Um pouco de nossa história

O Grupo de Teatro Popular e Associativo Entrou Por Uma Porta surgiu em 1988 a partir da integração de alguns jovens atores entusiasmados pelo Teatro do Oprimido de Augusto Boal e as técnicas de teatro de rua de Amir Haddad, remanescentes dos Grupos Di Palco, Ases da Arte e Apesar de Você. Através do trabalho que vem sendo realizado em oficinas e cursos de teatro comunitários e participações em diversos movimentos sócio-culturais, o grupo procura resgatar a sensibilidade e criatividade das pessoas assistidas, fortalecendo o seu vínculo com a identidade local.

Começou com a montagem da peça "O sonho de Gracinha", cujas apresentações nos levaram aos seguintes locais: Teatro do SESC do Engenho de Dentro, Teatro Grande Otelo, Teatro Iracema de Alencar (Retiro dos Artistas), Teatro da CEU (Casa do Estudante Universitário), Colônia de Férias dos Funcionários da LIGHT, Associação dos Funcionários da CVM, Grêmio do Laboratório MERCK, SESI -Jacarepaguá, Comunidade do Morro da Formiga, Comunidade do Morro dos Macacos, Associação da Cidade de Deus, Colônia Juliano Moreira, Colégio Arte Instrução, Escola Renato Leite, Escola Armando Lombardi, Colégio Alberto de Campos, Escola de Natação Tubarão, Escola Honório Gurgel, Núcleo de Cultura da UNE - Teatro Vianninha, Bienal Internacional do Livro e Abertura da Campanha Vá ao Teatro Desde Pequeno. Participamos ativamente da fundação do MOTIN - Movimento de Teatro Infantil do Rio de Janeiro, junto ao SATED/RJ e FUNDACEN. Recebemos neste mesmo ano o Prêmio Mambembe do Rio de Janeiro como Grupo Movimento ou Personalidade. Realizamos ainda ações políticas como: Show Volta Por Cima (em homenagem as vítimas da invasão armada da CSN), Movimento Pró-dignidade na Política, Movimento pela Democratização dos Meios de Comunicação, Movimento pela Regionalização das Programações de TV e Rádio, Festa dos Amotinados e Encontro de Animadores Culturais, Agentes Culturais e Fomentadores de Cultura da UNE.

Esteve presente nas seguintes mostras e festivais de teatro: 1ª Mostra de Teatro Amador do SESC/RJ, 1988; Festival de Teatro de Arcozelo, 1988; Mostra Carioca de Teatro Amador, 1988; RITEJ em Lyon/França, 1989; Congresso da ASSITEJ - Associação Internacional de Teatro para Infância e Adolescência em Lyon/França, 1989; Festa Ragazzi & Giovanni em Torino/Itália, 1989; Achipelogo da Infanzia em Alessandria/Itália, 1989; Festival de Teatro da Comuna em Lisboa/Portugal, 1989; 2ª a 7a Mostra de Teatro Amador do SESC/RJ, sempre presente com espetáculos inéditos; Movimento de Teatro Ecológico do Rio de Janeiro como espetáculos junto ao I.E.F – RJ, no Parque da Chacrinha, Parque da Tijuca, Morro da Babilônia e Refinaria REDUC - Duque de Caxias, ao mesmo tempo em que foram criados diversos cursos de teatro comunitários.

Os anos 90 foram de extrema produtividade local, sendo pesquisadas várias linguagens artes-educativas, abrangendo um grande leque de ações artísticas. O grupo participou da criação do Centro Cultural Comunitário da Barra da Tijuca, do Grupo de Defesa Ecológico (GRUDE), organizou o Festival de Dança Comunitária da Barra da Tijuca, eventos do Projeto Marungo, do Memorial a Zumbi dos Palmares, construindo um Intercâmbio com atores russos, que culminou com o espetáculo "Encontros" com Olga Kalachinikova e Dimitri Zuev.

Foram encenados os espetáculos para infância: "Vamos Brincar o Jogo do Jogo" e "Uma História Diferente". Para o público adulto foram encenados os seguintes espetáculos: "Teatro nu" e "Show musical do cantor Wander Ibô e Banda". Continuamos a ministrar cursos e abraçamos projetos como o Clube de Lazer e Rádio Comunitária dos Pacientes do Hospital Psiquiátrico Juliano Moreira, onde montamos com atores convidados e alguns pacientes o espetáculo: "Vozes do Hospício".

Hoje retornamos a nossa motivação primeira que é a dimensão artística comunitária do Teatro Popular como forma de comunicação e conscientização das classes populares. Através de convênio com a ONG Observatório de Favelas, o Instituto Idéias Sociais, a Universidade do Estado do Rio de Janeiro e a Universidade Federal Fluminense, estamos desenvolvendo alguns projetos dentro de diversas comunidades cariocas, projetos estes que envolvem jovens em situação de risco social, comunidades quilombolas e guaranis.

O "Auto de São João", que completa um ciclo de pesquisa sobre arte popular brasileira, realizada em 8 estados brasileiros (SC, MA, DF, AM, RJ, SE, MT,PE) no início de 2004, com apoio da FUNARTE e FAT, teve sua estréia em novembro de 2004, e pretende circular durante todo o ano de 2005 pelo Brasil cristalizando os contatos pré- estabelecidos nos 8 estados.

No ano de 2004, realizamos ensaio aberto em diversas comunidades e eventos. Participamos do projeto Prata da Casa da Secretaria Municipal de Cultura/RJ; dos eventos em comemoração à Agenda Zumbi de Palmares, no Teatro João Caetano, organizado pela Secretaria Estadual de Educação/RJ; do Projeto em Prol da Vila Aliança – Bangu/RJ; da Agenda Acadêmica da Universidade Federal Fluminense, das comemorações de aniversário Zumbi dos Palmares, da Pedra do Sal – Praça Mauá/RJ e da comemoração de aniversário de Zumbi dos Palmares na comunidade de Vigário Geral/RJ.



Escrito por Grupo às 20h53
[   ] [ envie esta mensagem ]




Proejto "Nas Praças"

Resumo do Projeto "Nas Praças".

O projeto "Nas Praças" propõe-se a levar a 15 comunidades do Estado Rio de Janeiro um leque, que iniciará na Cidade do Rio de Janeiro, passará pela baixada Fluminense e chegará ao interior do Estado. Criando e recriando ações culturais com objetivo de revalorizar as manifestações da cultura popular local. Estas propõem utilizar a praça como espaço agregador, através de sua "ocupação" durante dois dias com a realização de exposições, show musical, espetáculo de teatro, cinema, oficinas e debates. Acredita-se que uma proposta que tenha um viés cultural possa funcionar como meio de mobilização das comunidades, em prol das discussões em torno da promoção da paz, integração social, manifestações culturais e artísticas e potencialidades de cada uma das pessoas envolvidas.

Pretende abraçar a Cidade e o Estado do Rio de Janeiro, pois acontecerá de forma itinerante, conscientizando a população dos locais onde haverá apresentação, para sua realidade de produtor de cultura, além de buscar um estreitamento do relacionamento com as mesmas, estimulando o pensar sobre a resistência aos estigmas a que estas comunidades são expostas, devido a situações vivenciadas em seu dia-a-dia, como a convivência com a criminalidade, violência, tráfico de drogas, prostituição e outros.

O projeto será constantemente divulgado em boletim digital na Internet, parceria com TV Pública, Site próprio e outros veículos de mídia. Como resultado final pretendemos produzir 3 programas documentários para veiculação em TV pública sobre os artistas populares do Rio de janeiro e as diversidades das manifestações. O mesmo produto de pesquisa também será disponibilizado em formato: Impresso, CD-rom interativo e DVD/ vídeo. Este material também será distribuído para as secretarias de Cultura e educação dos Municípios do nosso Estado.

Este projeto conta com:

Incentivo fiscal, com base na Lei Estadual nº 1954 de 26 de janeiro de 1992. A empresa poderá descontar 70% do valor incentivado ao projeto do ICMS, de acordo com o valor total projeto. Certificado nº E-18/000.397/2005 - Publicado no D.O do Estado do Rio de Janeiro nº102 de 07 de junho de 2005 - pag.35 parte I.

 



Escrito por Grupo às 11h25
[   ] [ envie esta mensagem ]


[ ver mensagens anteriores ]


 
Histórico
  24/07/2005 a 30/07/2005
  17/07/2005 a 23/07/2005


Outros sites
  UOL - O melhor conteúdo
  BOL - E-mail grátis
Votação
  Dê uma nota para meu blog